Política

Bolsonaro é internado novamente após sentir dores abdominais

Suspeita é de uma nova obstrução intestinal, de acordo com o médico do presidente

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Bolsonaro é internado novamente após sentir dores abdominais
fonte: Instagram

Após período de férias em Santa Catarina, o presidente Jair Bolsonaro deu entrada na madrugada desta segunda-feira (3) no hospital Vila Nova Star, em São Paulo. De acordo com a instituição, o chefe do Executivo se queixava de dores abdominais e, por conta disto, foi submetido a exames, que apontaram uma nova obstrução intestinal, mesmo motivo de sua internação em julho de 2021.

continua após publicidade

Segundo um boletim médico divulgado pelo hospital, o presidente está com um quadro clínico de suboclusão intestinal. Significa dizer que é novamente a obstrução intestinal que já o acometeu desde que levou a facada, em 2018.

Bolsonaro divulgou uma foto em seu perfil oficial do Instagram e alegou que há possibilidade ser submetido a uma cirurgia. 

continua após publicidade
Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Jair M. Bolsonaro (@jairmessiasbolsonaro)

Segundo declarações à imprensa feitas pelo médico do presidente, o cirurgião Antônio Luiz Macedo, Bolsonaro fez tomografia. Macedo operou Bolsonaro após a facada sofrida pelo presidente na campanha eleitoral de 2018 e o acompanha desde então.

“Ele está estável, em tratamento e será reavaliado ao longo desta manhã pela equipe do dr. Antônio Luiz de Vasconcellos Macedo. No momento, sem previsão de alta”, diz a nota.

continua após publicidade

O médico Antônio Luiz Macedo, que operou o presidente devido à facada que recebeu em 2018, passava férias nas Bahamas e espera voo de volta ao Brasil para acompanhar de perto a situação. Desta vez, Bolsonaro pode ser submetido a uma nova cirurgia.

O mal que acomete o presidente ocorre quando a passagem das fezes pelo intestino está total ou parcialmente bloqueada. A obstrução impede a passagem dos alimentos digeridos pelo intestino. Por isso, os produtos dessa digestão, como fezes, gases intestinais e secreções digestivas, acumulam-se e aumentam a pressão dentro do intestino. É um fator mecânico.

Com informações do Estadão e do Metrópoles.