Cotidiano

Juíza é encontrada morta dentro do carro do marido em Belém

O marido da vítima, também juiz, está sendo investigado por alteração da cena do crime, uma vez que levou o corpo da mulher até a sede da polícia

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Imagem ilustrativa da notícia Juíza é encontrada morta dentro do carro do marido em Belém
fonte: Reprodução

Nesta terça-feira (17), um crime está repercutindo em todo país. A juíza Mônica Maria Andrade Figueiredo de Oliveira foi encontrada morta, nesta manhã, em Belém, no Pará. O corpo da vítima tinha uma perfuração por arma de fogo no peito.

continua após publicidade

O corpo da juíza estava dentro do carro do marido, no estacionamento do condomínio em que vivam, no bairro de Nazaré, centro da cidade. Porém, o que está chamando a atenção é o fato de que o cadáver foi encontrado pelo marido, o juiz João Augusto Figueiredo de Oliveira Júnior, que, ao invés de acionar a polícia, levou o corpo até a sede da Divisão de Homicídios da Polícia Civil, no bairro do São Brás.

Em depoimento à polícia, nesta terça-feira (17), o homem informou que encontrou a esposa dentro do carro, já morta, e que a arma usada pertencia a ele. Agora, a polícia investiga o motivo de o homem ter levado o corpo à delegacia ao invés de chamar a polícia, alterando a cena do crime.

continua após publicidade

Mônica residia em Campina Grande, na Paraíba, e, periodicamente, ia ao Pará para visitar o marido. Eles haviam se casado em julho do ano passado. A paraibana atuava no Rio Grande do Norte. Mônica Andrade era juíza na cidade de Martins.

A mulher, ainda, era prima da vereadora de Campina Grande (PB), Ivonete Ludgério. A vereadora lamentou o ocorrido em uma rede social. “Ainda sem acreditar! Minha comadre, prima e grande amiga se foi. Não te esquecerei jamais de ti”, escreveu.


Fonte: Informações do Metrópoles.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News