Apucarana

Polícia prende envolvidos em morte de morador de Cambira

O corpo de Vanderlei Romes de Souza, de 41 anos, foi encontrado no dia 5 de março, na zona rural de Mandaguari

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

A Polícia Civil de Apucarana realizou uma operação em Cambira, na manhã desta quinta-feira (28), e prendeu dois suspeitos de envolvimento na morte de um morador do município. O corpo de Vanderlei Romes de Souza, de 41 anos, foi encontrado no dia 5 de março, na zona rural de Mandaguari. Na ocasião, um homem de 32 anos, também morador da cidade, procurou a polícia, confessou o crime e ainda repassou onde tinha enterrado Vanderlei, conhecido como 'gibi'. Após encontrar o corpo, os investigadores foram até a casa dele, em Cambira, e na residência encontraram uma pá e outros objetos que foram utilizados para ocultar o cadáver. 

continua após publicidade

De acordo com o delegado-chefe da 17ª Subdivisão Policial (SDP) de Apucarana, Marcus Felipe da Rocha Rodrigues, apesar da confissão do homem, as investigações apontavam para a participação de pelo menos duas outras pessoas no crime.

"As investigações prosseguiram e ouvimos algumas testemunhas que apontaram a participação de mais duas pessoas no crime. Nossos investigadores conseguiram descobrir, através de imagens de câmeras de segurança de uma loja de materiais para construção, que o homem que confessou o crime, comprou os objetos usados para ocultar o cadáver com outros dois indivíduos, na véspera da morte de Vanderlei. Diante disso, a polícia representou contra os suspeitos", explicou o delegado.

continua após publicidade

Ainda segundo o delegado, a prisão do homem que confessou a morte e do suspeito apontado como mentor do crime, de 27 anos, foram realizadas nesta quinta-feira, com o apoio da polícia militar de Cambira. O outro suspeito segue foragido.

"O homem que confessou o crime no mês passado não havia ficado preso, pois não tinha flagrante. Agora, ele e o outro, apontado como mentor do crime estão na cadeia. Este apontado como mentor inclusive, seria o responsável por ter tirado a vítima de casa e o teria levado em seu carro para a morte. Agora, continuamos o nosso trabalho para localizar o terceiro envolvido", afirmou Rodrigues.

Motivação

continua após publicidade

O delegado que está a frente das investigações informou que preliminarmente, a motivação do crime teria sido a disputa pelo tráfico de drogas.

"Apesar do suspeito afirmar que o motivo do crime seria uma desavença pessoal, nossas investigações apontam para uma outra direção. Acreditamos que talvez a vítima estivesse tentando vender algum tipo de droga na cidade de Cambira, e isso trouxe um inconformismo aos autores do crime que acabaram por matá-lo", declarou o delegado.

Relembre: 

continua após publicidade

O delegado Marcus Felipe da Rocha informou que o setor de homicídios investiga a morte do morador de Cambira. Vanderlei Romes de Souza, de 41 anos, mais conhecido como 'gibi', foi assassinado e o corpo foi encontrado enterrado em um terreno em Mandaguari, na tarde do dia 5/3. 

"A Polícia Civil tomou conhecimento de um possível desaparecimento, começamos investigar e tínhamos suspeita de que ele poderia ter sido assassinado. No sábado, um homem procurou a polícia, se apresentou, disse que tinha matado o gibi e enterrado o corpo. Nossos investigadores foram com ele até Mandaguari, e de fato constatou a ocultação de cadáver, provavelmente o corpo estava enterrado desde o desaparecimento ", explica o delegado. 

Para o delegado, o homem não agiu sozinho. "Ele confessou o crime, mas a polícia acredita fielmente que ele não cometeu o crime sozinho. Ele confessou o crime, mas durante depoimento ele falou diversas vezes nós fizemos isso, nós levamos o corpo até lá. Ele estava muito alterado, drogado ou bêbado, o que dificultou a coleta das informações. Não acreditamos que ele fez isso sozinho e vamos buscar novas informações sobre o caso", detalha Marcus Felipe. 

A motivação do crime seria uma desentendimento que eles tiveram em uma lanchonete, o que também será esclarecido pela polícia. "Ele disse que efetuou um disparo contra a vítima, mas somente o laudo do Instituto Médico Legal (IML) vai afirmar a causa da morte. "O autor do crime disse que a motivação seria um desentendimento entre eles, que aconteceu em uma lanchonete, porém, esse crime pode estar envolvido com outros delitos, como o tráfico de drogas. Os dois já possuem passagens policiais. Talvez ele se apresentou e confessou o crime para tirar o foco da investigação",  finaliza o delegado. 

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News