Apucarana

Apucaranense preso na Tailândia será julgado na terça (17)

Advogado diz que Jordi Beffa deve ter sua audiência na próxima semana. Ele espera uma pena menor que a imputada ao casal preso no mesmo dia, que foi de 9 anos e meio.

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Jordi Beffa, 24 anos, está preso em Samut Prakan, na Tailândia, desde fevereiro
fonte: Arquivo pessoal/redes sociais/ TNonline
Jordi Beffa, 24 anos, está preso em Samut Prakan, na Tailândia, desde fevereiro

O jovem de Apucarana, Jordi Vilsinski Beffa, 24 anos, preso na Tailândia por tráfico internacional de drogas, deve ser julgado na próxima terça-feira (17). A informação é do advogado que orienta a família do rapaz, em Apucarana, Petrônio Cardoso.

continua após publicidade

Segundo ele, a expectativa é que Jordi receba uma pena menor que a que foi aplicada ao casal de brasileiros que foi preso no mesmo dia, em 13 de fevereiro. Mary Hellen Coelho da Silva, de 21 anos, foi condenada a 9 anos e seis meses de prisão, conforme informações preliminares, divulgadas na madrugada desta quinta-feira (12). Os advogados de defesa ainda não receberam a sentença completa.

A mesma pena, de 9 anos e meio, teria sido dada também a Ricardo de Almeida da Rosa, de 26 anos, que foi preso com Mary Hellen, em fevereiro.

continua após publicidade

Considerando o ritmo do fluxo de informações, o advogado da família de Jordi Beffa espera que tenha notícias sobre o julgamento do rapaz apenas na próxima quinta-feira (19). Isso porque, no caso de Mari Hellen, a embaixada informou que foi avisada nesta quarta-feira (11), por telefone, sobre a audiência da jovem perante a corte de Samut Prakan, realizada no dia 8.

Como há informações de que Jordi possa ir a julgamento na mesma corte na próxima terça-feira (16), informações sobre o resultado devem chegar apenas na madrugada de quinta-feira (19). “O fuso horário é de 10 horas de diferença. Aí tem o fluxo de informações, circulando entre os dois países. Vamos saber praticamente dois dias depois”, diz Petrônio Cardoso.

Cardoso espera uma pena menor para Jordi. “Embora ele tenha sido preso no mesmo dia, em circunstâncias parecidas, era outro vôo e ele levava uma quantidade de drogas menor do que os outros presos naquele dia. Temos a esperança de que seja uma pena menor”, disse.

continua após publicidade

Cardoso reitera que mesmo com o julgamento realizado, ele irá continuar trabalhando para conseguir a extradição de Jordi Beffa, de forma que ele possa cumprir pena no Brasil. Essa possibilidade de extradição ganhou novos contornos depois que a Polícia Federal efetuou a prisão de uma mulher, acusada de ser a aliciadora dos brasileiros presos na Tailândia, inclusive Jordi.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News